Os desafios da Netflix

Mais impostos e novos competidores podem ameaçar o futuro da Netflix no Brasil e no mundo. Como a empresa pretende manter-se na liderança? Quais novidades ela está preparando para o futuro? Vejam isto e mais (incluindo clippings e um clipe) a seguir!

O GOVERNO


Como já devem saber, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, solicitou que a Ancine e a Anatel desenvolvam um novo modelo de tributação para empresas estrangeiras atuando no Brasil (como o Google, Facebook, Apple e claro, a Netflix). A nova tributação pode começar a ocorrer a partir de 2014 (mais informações via IDGNOW!, Exame, CanalTech, Tecmundo, O Tempo). A presidente Dilma Roussef, usuária de alguns desses serviços (segundo IDGNOW!, Info Online), ainda não comentou se está preocupada com um possível aumento da mensalidade da Netflix (ou aumento dos preços "daquele da Apple").

A CONCORRÊNCIA


Lembram da NetMovies, talvez a primeira grande concorrente tupiniquim da Netflix? Seus investidores abandonaram o navio e entregaram o comando a um funcionário (a "custo zero", segundo reportagem do Estadão). Embora continue com um serviço de streaming, a NetMovies não pretende mais bater de frente com a Netflix, e está focando no aluguel de filmes em disco, em algumas poucas cidades (em SP, RJ e MG).

Mas estima-se que o mercado de vídeo over-the-top (OTT) tenha receita de até US$ 20 bilhões em 2015 em todo o mundo (e 13 milhões de assinantes no Brasil até 2017), e não é à toa que novos concorrentes continuam aparecendo e trazendo novidades. A Claro Vídeo começou em abril com um preço competitivo e uma interface bem parecida; a Saraiva recentemente disponibilizou seu player para Xbox 360; a Totalmovie "começou como uma cópia descarada da Netflix" (palavras do próprio gerente da empresa!), mas inclui também alguns canais ao vivo como diferencial; a japonesa Rakuten comprou o site espanhol de streaming Wuaki.tv em 2012, e neste mês a Viki, de Singapura; Intel, Sony, Google e Apple também parecem estar planejando lançar cada uma um novo serviço de streaming de vídeo.

Alguns acreditam que a Netflix será (ou deveria ser) comprada por uma empresa ou grupo maior. Reed Hastings diretor executivo da empresa, discorda: "por estarmos em tantas plataformas, é melhor a Netflix permanecer independente. Fazemos um trabalho incrível nas plataformas da Microsoft, do Google, da Apple e de todas as TVs. O valor da Netflix existe quando ela está em todas as telas que você quer usar".

Mas se a Netflix não for absorvida por outra empresa, como pretendem competir com outras que possuem muito mais recursos financeiros, como a Amazon? Reed Hastings disse que "a Netflix é especial, pois seu negócio é dedicado unicamente ao streaming de vídeo, e nesse aspecto estamos muito à frente de todos eles" (em entrevista em inglês, 12 min., sem legendas).

AS INOVAÇÕES


O diretor da Netflix afirmou que uma das tecnologias que a empresa deve trazer no futuro é o streaming de vídeos com 4K de resolução (ou "ultra alta definição"), que possui o dobro de linhas horizontais e verticais de um vídeo de alta definição (1080p). A novidade pode chegar em um ou dois anos, talvez com sua série original House of Cards (que foi filmada em 4K). Enquanto isso, continuam os testes de streaming de conteúdo 3D nos EUA.

Mas uma das maiores inovações da Netflix (ao menos do ponto de vista de seus negócios) foi a decisão de passar a criar seu próprio conteúdo.



Até o momento, a nova estratégia parece estar dando certo. Suas produções receberam 14 indicações ao Emmy, um feito histórico, e novos títulos ficarão disponíveis em breve, como Derek e a segunda temporada de Lilyhammer. Outras produções (algumas ainda em desenvolvimento) incluem as segundas temporadas de House of Cards, Orange is the New Black e Lilyhammer, Sense8, Turbo: F.A.S.T. (Fast Action Stunt Team), Narcos, Marco Polo e, possivelmente, outra temporada de Arrested Development.

Outra estratégia de longo prazo fundamental da empresa é continuar sua expansão global (a Netflix deve em breve aportar na Holanda). A expansão e a produção de originais geram uma sinergia: em quanto mais territórios atuar, maior é o retorno do investimento na produção de originais; quanto mais originais (de qualidade) tiver, mais exposição na mídia ela consegue; e com mais conteúdo e exposição, mais assinantes ela (potencialmente) consegue captar.

AUMENTOS


Eu particularmente duvido um pouco que a Netflix aumente o preço de sua mensalidade tão cedo. Ela começou no Brasil em setembro de 2011 a R$ 14,99/mês, e passou a R$ 16,90 em abril de 2013. A empresa disse ter sido obrigada a aumentar o valor da assinatura devido à inflação, e embora nenhum usuário tenha adorado a medida, a reação não parece ter sido em geral muito negativa. Mas a Netflix sofreu muito nos EUA quando aumentou a mensalidade em 60% em 2011 e separou os serviços de aluguel de discos e streaming, o que causou a perda de 800 mil usuários com a medida. Tenho certeza de que a empresa se esforça para que isto não aconteça novamente...

E você, o que acha que a Netflix reserva para o futuro, e o que o futuro reserva para a Netflix? Compartilhe conosco seus comentários.

17 comentários:

  1. Acho ate engracado um publico que tem Smart TV (e tempo para assisti-la), banda larga, e muitas vezes costuma pagar R$200,00 de tv por assinatura, reclamar de um reajuste de R$2,00 na mensalidade, apos 2 anos de atividade.

    ResponderExcluir
  2. Sou muito fã da Netflix, mas acho que seria legal se o Hulu também viesse pro Brasil. Já assisto o Viki, tem bastante material legendado pra quem gosta de K-drama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Hulu dificilmente virá para o Brasil, já que o foco deles é a exibição de conteúdo local (seria como se aqui no Brasil eles só exibissem novelas da Globo e da Band, entre outros). Portanto, mesmo que venha, não espere ver conteúdo estrangeiro aqui.

      Excluir
    2. O presidente da Fox falou recentemente que nao teremos
      Hulu tao cedo no Brasil.

      http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/06/1297036-fox-investe-nos-habitos-da-classe-c-para-crescer-no-pais.shtml

      Excluir
  3. Fiquei até com medo de ler tudo. Não tenho e nunca tive TV paga na vida, pra mim a Netflix tava de ótimo tamanho, espero que não ocorram mudanças drásticas.

    ResponderExcluir
  4. Netflix a melhor, Crakle é lixo, as outras são muito caras e não tem tantas opções em plataformas.

    ResponderExcluir
  5. Esse negocio de todo mundo querer entrar no streaming de video ta parecendo a bolha da internet. Daqui a pouco apenas quem tem competencia ficara no negocio. A Netflix e mais uma ou duas.

    ResponderExcluir
  6. Eu acesso bastante a netflix norte americana e é visível que a brasileira está muito atrás desse padrão de qualidade.

    A netflix deveria investir mais em séries, novas e velhas, para assim competir com os serviço de televisão paga.

    ResponderExcluir
  7. Hulu seria o maior fiasco aqui. As pessoas esquecem que ele é baseado em conteúdo local. Não iríamos ter o episódio de TBT um dia após ele passar na CBS americana. Não tem como, teríamos sim (se as TVS daqui abrissem a cabeça) o episódio de ontem de malhação e afins.

    Por isso, HULU aqui não seria um traço do americano, não teria o conteúdo de fora e nem o local. Somente da BAND, que é a única que até hj disponibilizou algum produto da tv aberta para algum serviço de streaming.

    ResponderExcluir
  8. Caso essa tentativa canhestra do governo de tributar sites e serviços estrangeiros prospere, é fatal que a carga tributária seja repassada ao usuário.

    ResponderExcluir
  9. O pior é o aumento dos impostos.

    A concorrência pode ser benéfica para nós, pois obrigará a Netflix a investir mais no conteúdo e manter os assinantes.

    Daqui um, dois anos, acho que não ouviremos mais falar de alguns destes concorrentes. Assim como ocorreu com a Netmovies.

    Não é um mercado fácil e a Netflix tem a vantagem de já estar estabelecida e com o player em muitos dispositivos.

    ResponderExcluir
  10. Acho preço do Netflix muito bom. se vier a aumentar não queria que fosse com impostos e sim com mais filmes a disponibilizar. A Netflix é uma empresa Única.Tive uma vez que cancelar por falta de internet em minha residência, Rápido é fácil pela net mesmo e para religar o mesmo, rápido e fácil sem precisar passar raiva como que passei na vivo play ou terra (sundaytv).
    Parabéns Netflix continue avançando sem perder qualidade.

    ResponderExcluir
  11. Entendo que as mudanças são naturais para um mercado que deu certo. Isso por parte de nosso governo que quer uma fatia, isso por parte da concorrência que vê um caminho promissor e quer participar também. Eu particularmente me tornei muito fã da Netflix e de sua MARCA em sí, por isso, sempre comento que tenho e indico. Como foi falado aqui, acho injusto reclamarem por um aumento sendo que uma tv por assinatura é muito mais caro, mas, opinião de cada um. Acredito que a Netflix continuará muito forte e todos nós (assinantes) iremos sair ganhando também.

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho Netflix e eventualmente assisto CrunchyRoll e Hulu via Hola! UnBlocker (extensão para Chrome e Firefox que permite usar serviços americanos de streaming) e UnBlockUs (serviço pago).
    Tenho NET HD também e posso dizer que uso muito mais a Netflix do que a TV a cabo. O fato é que é raro ter algo pra ver na TV. Depois de sentir a liberdade de assistir o que quero, quando quero, ter que esperar o dia e horário da TV linear torna-se insuportável.

    O que mais me irrita é ver que a cobrança inicialmente proposta pelo Governo vem da Ancine. Mais dinheiro sendo transferido dos nossos bolsos para os bolsos dos "produtores" brasileiros de audiovisual. Aquilo que é produzido aqui, que tem valor e qualidade, nunca teve problema para achar seu espaço. Nosso dinheiro vai é financiar mais filmes e documentários que muitas vezes são recusados até por festivais (que nada pagam pela exibição). Nem de graça os estrangeiros querem esse conteúdo.
    Tudo é financiado com o dinheiro do nosso imposto via leis de incentivo, e agora somos obrigados a comprar o que pagamos para produzir via obrigatoriedade de conteúdo nacional na TV por assinatura. É a TV paga com cada vez menos conteúdo útil. Só faltava mesmo empurrar esse lixo nos serviços de streaming.

    O negócio é afiar o inglês, porque vai chegar uma hora que só assinando os sites direto do exterior mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com tudo o que você falou, só acrescento que os artistas brasileiros vivem chorando para estes governantes malditos, os quais não sabem fazer nada além de aumentar os impostos. Além disso, nem sempre a concorrência traz melhoria, afinal a produção nacional de filmes a qual a Ancine não passa de uma parasita de nosso dinheiro, na grande maioria só financia lixo de um grupinho ligados a eles. Não acredito nesta balela, orgulho de ser brasileiro, chega de complexo de vira-lata artistas brasileiro!!!

      Excluir
  13. Fã de Carteirinha da Netflix! Já usei para conhecer e não gostei: Netmovies, em seguida escolhi a Netflix, veio Vivo Play e por último a Claro Vídeo. A única que ficou e pago com gosto é a Netflix e a cada mês me surpreendo com as disponibilizações.
    Amo séries, não curto novelas, nem BBB e nem A Fazenda. Sou uma amante de séries, a Netflix está me dando a oportunidade de ver séries a hora que quero, quantos episódios quero, e séries que não pude acompanhar.
    Tenho TV paga em casa, mas raramente a uso, é usada apenas pela minha mãe.
    Antes que me esqueça a Crackle, a conheci através da plataforma android e tem um acervo paupérrimo!

    Sempre que posso, ao comentar os filmes e séries cobro mais da Netflix e estou adorando as séries que estão entrando.
    Se a Netflix Americana tivesse legendas em espanhol, eu colaria nela rsrs
    O Acervo é TDB!

    ResponderExcluir
  14. Bem, o que acredito que falta mesmo para o Netflix são:
    1) Uma plataforma nativa para rodar em Linux. Hoje tem algumas instalações sobre o Wine, que dá um trabalhão pra configurar,
    2) Já acessáram o Netflix nos EUA (experimente com o TOR, desde que num hub de lá). Tem muitos títulos bem recentes. Ou seja, pra nós aqui ainda faltam muitos titulos bons. Por exemplo: Onde estão os filmes da MARVEL? e da DC?

    ResponderExcluir

Reservo o direito de não publicar ou remover comentários ofensivos ou irrelevantes.

Ao invés de perguntar quando chega um novo filme ou temporada de série, consulte a última lista de futuros lançamentos.