Custom AdSense 728x90

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Software permite gravar vídeos da Netflix e outros sites de vídeo sob demanda

Quer assistir a Netflix, mesmo quando não tem acesso à Internet? PlayLater é um software "gravador de vídeo digital" para serviços de vídeo pela Internet. Com ele é possível gravar vídeos de vários serviços (como Netflix, HBO Go, Amazon VOD, Hulu, HuluPlus e outros) no seu computador e depois assisti-los tanto no PC quanto em celulares e tablets, sem a necessidade de estar conectado à Internet.

Canais do PlayLater

Eis a lista completa de canais que o serviço oficialmente suporta no momento:
ABC
Adult Swim
Amazon VOD
BET
Cartoon Network
CBS
CNN
Comedy Central
Cooking Channel
Disney
DIY
ESPN
ESPN3
Food Network
FOX
FOX News
FoxSoccer.tv
GAC
HBO GO
HGTV
Hulu
Live News: Al Jazeera (English)
Live News: BBC
Live News: Bloomberg
Live News: C-Span
Live News: NHK (English)
Live News: RT (English)
MLB.tv
MTV
My Media
National Geographic
NBC
Netflix
NFL Rewind
NHL.com
Nick
OWN
Pandora
YouTube
A lista no site não mostra alguns dos canais que aparecem dentro do programa (ou seja, que também parecem ser oficialmente suportados): A&E, Crackle, History Channel, Lifetime, NBC, PBS, PBS Kids, Spike, SyFy, TBS, Travel Channel, TV.com, Vevo e VH1.

Outros canais são acessíveis através de plugins:
Active Channel
AERTV
Batman (1966)
Beavis and Butthead
BestRussianTV
Blip.tv
CBS College Sports
CBS Local
CHOW
Countdown with Keith Olbermann
Crunchy Roll
CSPAN Live Feeds
Disney Junior
Disney Video
Drama Fever
Fandango
Free Radio
funny or die
George Carlin Show
Giant Bomb
HGTV
History
Howcast
iHeart Radio
KidsWB
KONY 2012
Little House on the Prairie
Logo
Mashable
MLB.com
Monty Python's Flying Circus
NASA TV
Nascar
NBC Olympics (2012)
NBC TV
Open Yale Courses
PlayOn Exercise Videos
Qubo Kids Shows
Revision3
Rollercoaster POV Theatre
SnagFilms
Stanford Engineering Courses
Starcade
Street Fire
Telemundo
theWB
Tiny Toon Adventures
Tom and Jerry Classics
Top Gear
Tour de France (2012)
TV Land
U.S. Department of State
VH1
Vimeo
Wall Street Journal
Warriors OF Wrestling
We TV
Wolfgang's Vault
Yule Log 2011
YuppTV

O software informa que pode ser testado gratuitamente por 30 dias, ou 10 gravações. Após esse período, é possível registrá-lo de 4 modos:
  • assinatura de US$ 4,99 por mês
  • assinatura de US$ 9,99 por 6 meses
  • assinatura de US$ 24,99 por 1 ano
  • pagamento único de US$ 49,99

Os requerimentos mínimos são:
  • Windows XP, Vista, 7, ou Server 2003/Home Server
  • Internet Explorer 7 ou superior
  • Windows Media Player 9 ou superior
  • Pentium 4 3.2+ GHz, Pentium M 2.0+ GHz, ou qualquer processador multi-core x86
  • 512 MB RAM (1 GB recomendado)
  • 100 MB de espaço em disco para instalação, mais 4-5 GB de espaço para os vídeos
  • Acesso à Internet de ao menos 1.5 Mbps

Os dispositivos móveis suportados no momento são apenas iPhone, iPad e iPod Touch, mas dispositivos Android serão suportados futuramente.

Para gravar vídeos de serviços pagos, é necessário ser assinante dos mesmos, e informar ao programa seu login e senha de acesso.

Quanto a legalidade do programa, o fabricante afirma:
Sim [o programa é legal]. PlayLater é uma tecnologia desenvolvida para permitir que usuários assistam conteúdo online legalmente, quando e onde quiserem. Assim como um DVR e o antigo vídeo-cassete, PlayLater foi feito para uso pessoal e conveniência.
A principal dúvida de muitos é: funciona no Brasil? A resposta oficial é:
PlayLater funciona com os sites que damos suporte e os sites que os desenvolvedores de plugins suportam. Alguns deles funcionam fora dos EUA, outros não. Suas gravações, uma vez em seu computador, poderão ser reproduzidas em qualquer lugar. Elas funcionam como qualquer arquivo local em seu PC.
Para tirar a dúvida, instalei o programa em meu PC. Ao tentar acessar a Netflix por ele, recebo a mensagem de que o serviço não está disponível fora dos EUA / Canadá...


Entrei em contato com o suporte técnico da empresa, perguntando sobre a disponibilidade do serviço na Netflix. Publicarei aqui a resposta assim que a receber.

Atualização: segue a resposta da PlayOn:
Talvez seja possível suportar a Netflix da América Latina no futuro, mas isto não é possível agora. As dificuldades técnicas e barreiras de linguagem tornam isso extremamente difícil.

37 comentários:

  1. Pelos termos de uso na seção Propriedade intelectual:

    A Netflix não promove, encoraja ou perdoa a cópia de filmes e séries ou qualquer atividade infratora.

    A Netflix reserva-se o direito de rescindir sua assinatura de acordo com o exposto aqui se, a seu único e exclusivo critério, acreditar que você está violando as restrições de software, as restrições de cópia de filmes e série fornecidos por nós ou outro tipo de cópia ou uso não autorizado de nosso conteúdo proprietário em violação dos direitos autorais da Netflix e seus licenciantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, curiosamente, seu comentário apareceu para mim após os outros, mesmo tendo sido enviado primeiro... Como deve ter visto, também citei os termos de uso em um comentário abaixo.

      Excluir
  2. O grande barato da Netflix é não ter que baixar nada previamente.

    Espero que a Netflix arrume uma forma de bloquear o programa, pois se começarem a deixar baixando coisas direto para assistir depois ou nunca, vai prejudicar a qualidade do streaming de quem utiliza como deve ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mac, sem dúvida é ótimo não ter que baixar nada... mas quem vai e volta do trabalho e/ou escola de ônibus, por exemplo, também não pode usar esse tempo para assistir a Netflix. O programa acaba tornando o uso da Netflix mais viável para aqueles que não tem Internet onde e quando têm tempo livre...

      Certamente o uso do programa não afetará em nada a qualidade de streaming dos outros usuários - exceto aqueles que compartilharem a mesma rede local (como na mesma residência). Para causar algum tipo de problema a nível "global", imagino que seria preciso que alguns milhões de usuários estivessem simultaneamente fazendo downloads constantes. Não acredito que sequer exista mercado para isto ou mesmo tantos interessados em baixar tantos vídeos. E é claro, se chegasse a acontecer algo perto disso, a Netflix faria algo a respeito...

      Excluir
  3. Só pq o produtor do programa diz que é legal não signfica que seja verdade e que o serviço não seja mais um a ser arrastado para os tribunais. Gravar do Netflix, além de não fazer muito sentido, certamente é contra o contrato de uso, já que o sistema usa DRM pra previnir o download dos vídeos. Se considerar por exemplo que o programa poderia ser usado pra gravar um filme que vai sair do cátalogo do Netflix, então seria certamente violação de copyright exibi-lo após a data de expiração, pois a empresa responsável pelo programa estaria fazendo o streaming de conteúdo não mais licenciado. O usuário tb poderia gravar um monte de programas e depois assistir as gravações sem pagar assinatura do Netflix.

    Fornecer seu login e senha do Netflix para terceiros é, além de algo inseguro, contra as normas do contrato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com quase absolutamente tudo o que disse! :)

      Segundo os Termos de Uso (grifo meu):

      [...] Exceto quando especificado de outra forma, o serviço Netflix e qualquer conteúdo assistido através de nosso serviço são de uso pessoal e não comercial, e nós concedemos a você uma licença limitada, não exclusiva e não transferível para acessar o serviço Netflix com esse propósito. Com exceção da licença limitada mencionada, nenhum direito, título ou interesse será transferido a você. Você não pode fazer download (sem ser por cache de páginas necessário para uso pessoal, ou conforme o permitido expressamente por estes Termos de uso), modificar, copiar, distribuir, transmitir, exibir, realizar, reproduzir, duplicar, publicar, licenciar, criar trabalhos derivados ou oferecer para venda qualquer informação contida ou obtida no serviço Netflix, sem o nosso consentimento escrito. A Netflix não promove, encoraja ou perdoa a cópia de filmes, séries e conteúdo entregues digitalmente, ou qualquer outra atividade infratora. Você não pode burlar, remover, alterar, desativar, degradar nem demover nenhuma das proteções de conteúdo do serviço Netflix. [...] Qualquer uso não autorizado do serviço Netflix ou seus conteúdos rescindirá a licença limitada concedida por nós e resultará no cancelamento de sua assinatura.

      Porém, "fornecer seu login e senha do Netflix para terceiros", segundo os termos de uso, não é um problema em si, embora você seja responsável pelo que esses terceiros farão com suas credenciais:

      AO COMPARTILHAR A SENHA DO SERVIÇO NETFLIX, O PROPRIETÁRIO DA CONTA CONCORDA EM FAZER O POSSÍVEL PARA GARANTIR QUE OS OUTROS MORADORES DA CASA CUMPRAM OS TERMOS DE USO, E SERÁ RESPONSABILIZADO PELAS AÇÕES DESSES USUÁRIOS.

      [...]

      Você também é responsável por manter a confidencialidade de sua conta e senha e por restringir o acesso ao seu aparelho compatível com a Netflix. Se você revelar sua senha a alguém ou compartilhar sua conta e/ou aparelhos com outras pessoas, estará assumindo toda a responsabilidade por suas ações.


      Além disso, segundo a PlayLater, o login e senha são armazenados apenas em seu computador.

      Claro, ainda assim, achei muita audácia da empresa em criar e divulgar tal programa (que só poderia ser criado quebrando muitas das restrições dos termos de uso de vários serviços diferentes). Certamente a Netflix e as outras empresas que se sentirem lesadas farão algo contra a PlayLater em breve...

      Excluir
    2. "Claro, ainda assim, achei muita audácia da empresa em criar e divulgar tal programa (que só poderia ser criado quebrando muitas das restrições dos termos de uso de vários serviços diferentes). Certamente a Netflix e as outras empresas que se sentirem lesadas farão algo contra a PlayLater em breve..."

      Fiquei um pouco confuso agora. Você acha que a empresa foi audaciosa em divulgar o aplicativo, mas também divulgou ele no seu blog, em um post bastante detalhado.

      De qualquer modo, ainda acho que deveria ser proibido, "grave para assistir depois" não é um serviço oferecido pela Netflix, não é essa a proposta da empresa.

      Se a pessoa quer assistir offline no celular ou Ipad, etc, existem serviços que vendem filmes por download, não deve assinar a Netflix para isso. Ficar achando justificativa para fazer algo que não foi previamente contratado é tentar achar pelo em ovo.

      Excluir
    3. O PlayLater vai contra os termos do serviço da Netflix, quanto a isso não há dúvidas. Porém, isso não o torna necessariamente ilegal.

      Este artigo apenas divulga informação já disponível na Internet. Se o New York Times pode, porque não este singelo blog? ;)

      Excluir
    4. Claro que você pode divulgar, quem disse que não?

      Só disse que fiquei confuso quanto a dubiedade de achar que a empresa foi audaciosa ao divulgar o aplicativo que quebra restrições, etc. E ao mesmo tempo também o divulgar amplamente. Sim porque foi uma divulgação e não uma notícia.


      Excluir
    5. Mac, você já viu algum jornal anunciando um assalto a banco ou assassinato? Isso quer dizer que a mídia e/ou o jornalista apoiam o crime? Provavelmente não, e ainda assim, eles podem achar que o criminoso agiu com audácia. Onde está a dubiedade?

      De qualquer modo, não tenho nenhuma ligação com a PlayOn, e não recebi nada para fazer a notícia (ou "divulgação", escolha a palavra de sua preferência).

      Excluir
    6. Comparação absurda. Você já viu algum jornal instruindo como assaltar um banco? E mais, entrar em contato com o assaltante para saber se o assalto dará certo no seu banco?

      Excluir
    7. vai ser babaca assim la na pqp

      Excluir
  4. Outro detalhe: o programa já tem mais de um ano de vida (achei informações sobre versões beta em junho de 2011). Se fossem fazer algo contra a empresa, imagino que já teriam feito...

    Segundo o jornal The New York Times, em matéria de novembro de 2011:

    Os assinantes podem ficar preocupados sobre a legalidade da cópia de conteúdo de vídeo. [Jeff] Lawrence [diretor da PlayOn] disse que o PlayLater segue a trilha criada pelos vídeo-cassetes e DVRs.

    "PlayLater é legal pelo mesmo motivo que um vídeo-cassete e um DVR são legais", disse ele. "Há um precedente legal bem estabelecido que permite consumidores gravarem vídeos para assisti-los em outro horário."

    Denise M. Howell, advogada de tecnologia e propriedade intelectual em Newport Beach, Califórnia, diz não ter tanta certeza de que um software como o PlayLater será bem sucedido sem uma batalha legal. Ela apontou que os termos de acordo de serviços que os usuários têm com empresas como Netflix e Amazon limitam a exibição dos vídeos.

    "Se os sites de streaming ignorarem e permitirem isto, irritarão as pessoas que fornecem o conteúdo", disse ela. "Eles não poderão fazer de conta que não estão vendo e cruzar os braços."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa legalidade é relativa. A Comcast por exemplo foi processada por oferecer um DVR nas nuvens ao invés de incluir no setup box dos clientes, o que é bem parecido com esse serviço da PlayOn. Ela ganhou e abriu precedente para outras empresas. Esse tipo de gravação é legal se cada clienter fizer a sua gravação independente. Eles não podem por exemplo gravar um filme só uma vez e destriobuir para todos clientes que solicitarem. Cada cliente precisa ter a sua gravação própria. Porém eu duvido que esse precedente inclua sites de streaming. Esse precedente é referente a programas transmitidos pela TV.

      Excluir
    2. Depois de ler melhor e analisar, ficou claro que o programa é apenas um screencaster. Essencialmente ele capta o audio e vídeo do filme sendo transmitido pelo Netflix em tempo real. Assim como qualquer screencaster, você precisa rodar o filme inteiro enquanto grava. Nada que você não consiga fazer com programas de captura de desktop gratuitos. A única vantagem é que ele permite gravar em segundo plano, o que permite trabalhar com oputros programas enquanto grava. Mas pra quem tem por exemplo dois monitores, é baba fazer a mesma coisa com programas gratuitos, sem pagar assinatura nenhuma. Só não faz muito sentido a trabalheira toda, a não ser que queira assistir quando não tiver acesso à Internet ou se quiser mannter um catálogo pirata.

      Excluir
    3. Não sou advogado, mas acho que quase toda lei é passível de diferentes interpretações...

      Em todo o caso, o PlayLater roda no computador de cada usuário, gravando o vídeo à medida em que é feito o streaming dele, em tempo real - assim como um vídeo-cassete. Portanto, não se trata de um cloud service ("serviço na nuvem"), cada usuário precisa fazer sua gravação de modo independente, e cada gravação tem o potencial de ser diferente (incluindo variações na qualidade de imagem referentes à oscilações na qualidade da conexão).

      Excluir
    4. Corrigindo...não tem nada a ver com o DVR da Comcast, pois a gravação é feita localmente no HD do usuário.

      Excluir
    5. Pois é, eu fui lá ler e instalar pra entender melhor e postei a correção falando exatamenter isso, mas ainda não apareceu. Tb postei uma outra mensagem explicando que o programa é um simples screencaster. Não vale a pena pagar por esse serviço se não for cloud service, já que você consegue o mesmo tipo de recurso com programas gratuitos.

      Excluir
    6. Hoje o blogger está atrasando um pouco a entrega dos comentários - talvez ele esteja um pouco sobrecarregado...

      Excluir
    7. Pois é, a conversa tá ficando toda fora de ordem.

      Excluir
  5. Se o programa é contra os termos de uso pra que divulgá-lo? Já não basta a taxa da Ancine pra prejudicar a Netflix?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duvido que o PlayLater prejudique a Netflix - pelo contrário, ele pode beneficiar vários de seus clientes.

      Quem quiser piratear o conteúdo não vai pagar US$ 8 ou R$ 14,99 por mês, mais o valor do programa, se pode obter a mesma coisa de modo mais simples, mais rápido e de graça, não acha?

      Excluir
    2. Não falo em pirataria e sim prejudicar de forma técnica. Afinal como funciona esse software? Ele salva conforme reproduz o filme, tendo que "assistir" o filme todo para tê-lo salvo, ou ele consegue baixar o arquivo direto? Pode haver sobrecarga nos servidores com um monte de gente baixando ao invés de assistir. E quem quer assistir sifu...

      Excluir
    3. Nao ha' nenhum tipo de problema tecnico causado pelo PlayLater, ele usa a mesma largura de banda usada para reproduzir o video por um app da Netflix. Alem disso, a Netflix utiliza cloud services da Amazon, ajustando a banda e numero de servidores de acordo com a necessidade a cada instante...

      Excluir
    4. Claro que prejudica, o cara deixa o aplicativo baixando em um horário em que normalmente ele não estaria assistindo. Pronto, já prejudicou porque ele vai utilizar a largura em mais horários que o normal e "correto".

      Vai falir a Netflix? Não vai, mas prejudica, pois ela paga por cada mb de banda utilizada pelos servidores.

      Já disse lá em cima, se o cara quer um serviço que permita baixar para assistir depois, assine um serviço assim. Não precisa de Netflix para isso.

      Excluir
    5. Mac, seguindo sua linha de raciocínio, a própria Netflix "se prejudica", pois introduziu a reprodução contínua de episódios de séries (sem a necessidade de confirmação por parte do usuário). Se alguém dormir assistindo um episódio, ou sair de casa e esquecer de parar a reprodução, vários outros episódios serão reproduzidos na sequência, sem ninguém para assisti-los (usando "a largura de banda em mais horários que o normal e 'correto'").

      Como uma das métricas de "sucesso" que a Netflix usa é o consumo de vídeo em horas, fica até suspeito que essa tenha sido uma forma de "inflar" os números para aumentar a satisfação dos acionistas...

      Sim, você já disse o que você acha que as pessoas devem fazer. E é provável que, em vários casos, usar outro serviço que permita downloads faça muito mais sentido (tanto econômica quanto tecnicamente), sem contar na ampliação do leque de títulos a escolher. Porém, não vejo nada errado em baixar alguns episódios de uma de suas séries favoritas para assistir durante um voo de longa duração (já que eles seriam assistidos de qualquer modo em outro horário), ou baixar conteúdo quando a rede está menos carregada, como um usuário comentou mais abaixo. São usos absolutamente normais, que em nada prejudicam a Netflix, e que beneficiam os usuários.

      Excluir
    6. A reprodução continua é um feature do serviço, planejado e lançado pela Netflix, certamente casos como "dormir" enquanto roda o filme devem estar no planejamento de alocação de banda da NetFlix.

      Com o aplicativo, o usuário pode deixar o dia inteiro baixando coisas (ele possui queue), prejudicando sim quem usa da forma correta.

      Também não vejo nada de errado em baixar suas séries favoritas para assistir durante o voo. Mas isso deve ser feito por meio de um serviço que permita o download. Simples assim. Eu também posso achar dezenas de motivos para fazer algo que não seja correto, mas isso não vai o tornar correto.

      Excluir
    7. Quanto ao sistema de reprodução contínua de séries, se você assiste mais de 3 ou 4 episódios em sequencia (não sei ao certo o número) aparece uma tela de confirmação alguns minutos depois de começado o epsiódio. Eles provavelmente fizeram isso pra detectar dorminhocos.

      A questão não é a banda, pois você tem o direito de assistir o Netflix 24 horas por dia, se quiser e puder. Mas as licenças que o Netflix paga e a mensalidade cobrada dos clientes são para streaming e não download. Gravar é quase a mesma coisa que fazer download. Gravar um programa da TV em seu DVR, pois não tem tempo de assistir no horário de transmissão é uma coisa, mas gravar de um site em que você pode assistir a qualquer momento e que não permite download é completamente diferente.

      Excluir
  6. Pessoal do blog, deem uma investigada nisso aqui:

    blog.lancamentosnetflix.com.br/2012/09/netflix-baixando-legendas-da-internet.html

    ResponderExcluir
  7. Pra mim seria ótimo, pois em julho mudei de cidade (para o interior) e aqui minha internet é de apenas 1MB, e estou pensando em cancelar minha assinatura pq não tá dando pra ver os vídeos em boa qualidade. Se tivesse uma maneira de fazer download, eu deixaria baixando de madrugada (quando a taxa de download sobe para até 1.1 MB/s, enquanto é de apenas 110kb/s durante o dia).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é download, é gravação em tempo real. Só ajudaria sua situação se você gravar de madrugada, mas se o vídeo for interrompido por problema de banda, a rodinha de carregamento e porcentagem aparecerá na gravação final.

      Excluir
    2. Exato. Corresponde basicamente a capturar a reprodução do vídeo na tela. Pelo que entendi, é possível assistir enquanto ocorre a gravação, a depender do formato de gravação escolhido.

      Excluir
  8. Ta na net e pode ser baixado de alguma forma o problema é do sistema. Infelismente não posso fazer nada, apenas Baixar

    ResponderExcluir
  9. Caramba !!!
    Chato não ter visto isso antes !!!

    SHOW DE BOLA A POSSIBILIDADE ANUNCIADA !

    Parabéns ao desenvolvedor e, ACREDITEM. quem não curtiu, com certeza faz parte do time Netflix ...rs.

    ResponderExcluir

Reservo o direito de não publicar ou remover comentários ofensivos ou irrelevantes.