Filmes estrearão nos cinemas e na Netflix simultaneamente

Michelle Yeoh em "O Tigre e o Dragão: A Lenda Verde". Foto: Rico Torres.
A partir de 2015, a Netflix estreará filmes em seu serviço de streaming no mesmo dia em que eles chegarem aos cinemas. Veja mais informações a seguir.


A Netflix e a The Weinstein Company (TWC) anunciaram ontem que lançarão O Tigre E o Dragão II: A Lenda Verde ("Crouching Tiger Hidden Dragon II: The Green Legend" / "Wo hu cang long II - Qing Ming Bao Jian") em 28/08/2015, simultaneamente em todas as regiões onde a Netflix opera e em diversos cinemas Imax.

O filme é a continuação do premiado O Tigre E o Dragão ("Crouching Tiger, Hidden Dragon" / "Wo hu cang long"), e ficará disponível a todos os assinantes da Netflix sem nenhum custo adicional. Nenhuma outra rede de cinema além dos cinemas Imax exibirão o filme.

Outras produções cinematográficas seguirão este novo modelo de distribuição, mas ainda não foram anunciadas.

Ted Sarandos, diretor de conteúdo da Netflix, espera que este acordo mostre a Hollywood que chegou a hora de fazer o que os fãs de cinema querem, e mudar a forma de lançamentos de filmes - tradicionalmente primeiro nos cinemas, e somente meses depois em streaming. "Espero com isto provar que o céu não vai cair. Estas são duas experiências diferentes, como assistir a uma partida de futebol no estádio ou na TV".

Assim como a Netflix revolucionou a distribuição e a forma de se assistir à programas de TV, ela tenta fazer o mesmo com o cinema. Ela certamente encontrará muita resistência, e este primeiro passo foi possível graças à proximidade da Netflix com a TWC (incluindo sua parceria na série Marco Polo) e pelas vantagens para o Imax: suas salas são independentes das grandes redes de cinema (que não querem quebrar o modelo de distribuição de Hollywood), e o filme poderá ajudar na bilheteria de agosto, que costuma sofrer com a falta de blockbusters. Além disso, o filme deve apresentar um bom desempenho na China, onda a Netflix ainda não opera e o Imax possui cerca de 70 salas.

Fonte: Emily Steel e Brooks Barnes, The New York Times.

14 comentários:

  1. Tomara que dê certo que essa "moda" pegue!!!

    ResponderExcluir
  2. tomara que isso aconteça com bons filmes ! não só com filmes baratos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curioso seu comentário, pois "O Tigre E o Dragão" é considerado um filme de custo barato e "bom" (tanto sucesso de bilheteria quanto de crítica, ganhando 4 de 10 indicações ao Oscar). A continuação terá um custo de produção bem maior do que o filme anterior, mas duvido que chegue perto do de blockbusters.

      Caso esta co-produção da Netflix seja bem-sucedida (assim como as outras ainda não anunciadas), é provável que a empresa continue a investir cada vez mais. Mas, para ser sincero, prefiro apenas que as produções sejam "boas", não importando o quanto gastam nelas...

      Excluir
  3. E ainda tem gente que mete o pau na Netflix né Ricardo? Não perca tempo respondendo esses comentários de "vou cancelar a Netflix". Deixa esses ficarem com a TV aberta ou com a ilegalidade dos downloads pois é o que eles merecem.

    ResponderExcluir
  4. A HBO já produz a muito tempo filmes originais e exclusivos para seu canal de TV, não passam nos cinemas, mas teriam qualidade para isso, pois são muito bons e por isso premiados. Eu poderia citar vários, inclusive muitos protagonizados por astros de Hollywood...

    A Netflix ta fazendo essa parceria com os cinemas que é um modelo diferente, mas o que importa é que assim como a HBO terá filmes originais e com a vantagem de poder levar um Oscar qualquer dia...

    ResponderExcluir
  5. No caso de alguns filmes bem específicos, como filmes independentes que ninguém espera que virem blockbusters, esse modelo pode funcionar. Mas nem pensar que vão lançar um filme caro na Netflix ao mesmo tempo que no cinema, isso seria rasgar dinheiro. Eu mesmo, nunca mais colocaria os pés numa sala de cinema, tendo que passar perrengue para ir até o shopping e só tendo versão dublada. É mais provável que filmes mais comerciais saiam em um modelo de pay-per-view junto com a versão cinematográfica.

    A propósito, alguns filmes já chegaram ao Netflix brasileiro este ano ao mesmo tempo ou muito pouco depois de eles passarem nos cinemas daqui (ou pelo menos nos de algumas cidades), como por exemplo, O Mordomo da Casa Branca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo até certo ponto com você! Adoro assistir filmes no cinema e pra mim é bem melhor do que assistir em casa. Mas o cinema da minha cidade as vezes demora pra aparecer alguns lançamentos e quando aparecem raramente vem legendados... Então a Netflix seria um ótimo completo! Mas também acho muito difícil isso acontecer com filmes de alto orçamento! Acredito que uma realidade mais próxima e, penso eu até mais rentável, seria a Netflix disponibilizar os episódios de séries logo após elas serem exibidas na TV. Mas por enquanto é só sonhar.....

      Excluir
  6. Muito bom tudo isso... mas gostaria mesmo de saber quando a Netflix poderá disponibilizar filmes em 3D... Seria o MÀXIMOOO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Problema do 3D, é que o brasil infelizmente não tem infraestrutura para vender internet com capacidade de assistir tais filmes, a galera paga 10, 15, 20, até 25 megas e não recebe nem 5, então vamos com calma, o brasil ainda tem que montar uma infraestrutura de qualidade, para novidades chegarem, o teste feito pela netflix não deve ter dado certo, justamente por isso !

      Excluir
    2. Mesmo nos EUA a Netflix está encerrando o suporte a 3D...

      Excluir

Reservo o direito de não publicar ou remover comentários ofensivos ou irrelevantes.

Ao invés de perguntar quando chega um novo filme ou temporada de série, consulte a última lista de futuros lançamentos.